Tecnologia de baixo custo para corretora de seguros

Como inovar usando tecnologia de baixo custo para atrair novos clientes e aumentar o faturamento na sua corretora de seguros.

Vamos contextualizar o cenário da corretagem de seguros para falar dos desafios de obter tecnologia de baixo custo. Hoje, vemos crescer cada vez mais canais alternativos para a venda de seguros e a concorrência fica mais acirrada. Temos o mercado varejista ofertando seguros e os bancos que historicamente são os maiores concorrentes dos corretores. Além disso, novas tecnologias surgiram para levar o hábito da compra para o digital. Se você, corretor, já entendeu que deve usar a tecnologia a favor de seus negócios, continue lendo este artigo.

Seguir uma tendência é natural, mas nem sempre é o melhor para o seu negócio. Quando se fala em tecnologia de baixo custo, muitos pensam em Google Adwords. Mas, na verdade, não podemos considerar um investimento em inovação, uma vez que são campanhas na internet e não são sistemas agregadores para as empresas. Ademais, para o mercado de corretagem, essas campanhas não são baratas, de acordo com uma pesquisa da WordStream. O site mostra as palavras-chave mais caras para campanhas no Google, sendo “seguro” a campeã. Para se ter uma ideia, os termos “seguro”, “empréstimos” e “hipoteca” podem custar, cada um, até US$ 50 por clique (cerca de R$ 213).

Campanhas Google ads
Palavras mais caras em campanhas no Google Ads

Citamos essas estratégias no digital para mostrar que nem sempre o retorno sobre o investimento compensa em determinada área. Ao aplicar essas campanhas, o corretor se depara com um volume de leads sem qualidade, pois não tem certeza da real propensão de compra, acaba perdendo tempo com o cliente errado, resultando em um custo-benefício baixo e volta à procura de um novo meio de obter clientes usando a tecnologia. A dúvida é: onde investir para inovar? Agora que está claro a diferença entre implantar uma tecnologia e fazer anúncios no digital, vamos aos desafios.

Desafio 1: tecnologia de baixo custo para minha corretora 

Não existe exatamente uma receita de bolo para indicar tecnologias que seriam as mais adequadas à sua corretora de seguros. Cada uma tem suas necessidades e no mercado há inúmeras soluções. Entretanto, há uma busca comum: como atrair novos clientes para comprar com o corretor em um cenário cada vez mais digital? Muitas vezes pensamos em fazer coisas de outro mundo, quando o caminho pode estar dentro de casa.

A dica aqui é atrair clientes incentivando as recomendações de seus próprios clientes. É mais fácil alguém comprar com um corretor que foi indicado por um amigo que confia, do que pela internet, ainda mais se tratando de seguros. Ao analisar a carteira de clientes de qualquer corretora é possível constatar que a maioria cresceu tendo como principal ativo as indicações. Seguro é coisa séria e as pessoas compram de quem confiam.

Uma pesquisa global da Nielsen aponta que a mais poderosa publicidade é a indicação: 92% dos consumidores confiam na recomendação de amigos e familiares quando se trata de um produto ou serviço. Já imaginou sua corretora usar tecnologia para potencializar o hábito do “boca a boca”? Sem falar no custo baixo de um lead de indicação.

O básico necessário

Outras soluções que já são bem conhecidas, as de CRM (Customer Relationship Management), se tornaram mais do que essenciais, são vitais para qualquer empresa. No caso do corretor, que faz venda consultiva, os sistemas de gerenciamento de relacionamento com o cliente ajudam a lembrar de propostas que precisam de maior atenção. Além de identificar facilmente quais são as oportunidades que mercerem maior esforço. Nem sempre são soluções de baixo custo, então, o excel continua sendo uma alternativa. O importante é não deixar de registrar as interações com os clientes!

Desafio 2: adaptar-se à digitalização do consumidor

Sempre foi extremamente desafiante atrair um cliente para comprar seguros. Imagine agora, na era do consumidor digitalizado. De um lado, temos uma geração que não se sente atraída a contratar seguros e, quando contrata, quer fazer de forma independente. De outro, temos o corretor que trabalha com produtos complexos e que necessitam de venda consultiva. Ainda estamos aprendendo a lidar com as mudanças nos hábitos de consumo e a adoção das plataformas digitais pelos mais jovens.

A realidade é essa e não tem como fugir. Inovar com tecnologia de baixo custo é – sem dúvida – o maior dos desafios. É possível conquistar o consumidor digitalizado e, para isso, as corretoras de seguros precisam inovar e se adequar. Para se manter num mercado tão competitivo, é preciso investir em estratégias mais humanas. Estratégias que valorizam o relacionamento com os clientes. A tecnologia está aí para agregar, sem a necessidade de canibalizar o corretor. Pelo contrário, é uma aliada.

Veja o case de quem já usou: corretora dobra o volume de indicações de clientes 

Deixe uma resposta