A diferença entre lead e indicação

– Isto é um lead?

– Não, é uma indicação!

– E qual a diferença?

– Ah, muita. Uma indicação não é alguém, que clicou porque gostou da foto, ou porque ficou curioso, tampouco alguém que estava “só testando”. Uma indicação é alguém que acreditou em uma história. Deixa eu explicar melhor:

Um cliente que outrora não indicava, precisou de ajuda. E obteve aquela força que faz a gente acreditar na empresa. Aí, este cliente nota 7 se tornou um nota 10. Um promotor.

Mas ele foi mais longe. Aceitou participar de uma campanha de indicações e pasmem, de seguros. Aquele produto chato que eu só aciono quando estou em desespero. O cliente recebeu um convite, clicou em “quero participar”  e acessou uma plataforma de indicações.

Espera ai, é sério?

– Sim, e num bate papo com um amigo, num café, pizzaria ou até mesmo no metrô, ele falou de seguros.

– Sério mesmo? Mas não e no Brasil que as pessoas falam pouco de seguros?

– É então! Mas ele não só falou, como indicou. E no ambiente digital!

– Então não é um lead?

– Não, é uma indicação. É muito mais que um lead. É uma recomendação, que fala muito sobre quem vai ligar e traz consigo algo que o lead não traz. Confiança, pertencimento e mostra que educar o cliente vale a pena! Lead é legal, mas indicação é supra!

Estes são arquétipos diferentes. Um deles atraiu, claro, mas o outro (a indicação) trouxe pro time, deu ferramentas para que o cliente tenha se tornado um disseminador, promotor, divulgador, etc. Em alguns casos, este cliente vai se tornar um agente.

Em MKT 4.0 do Kotler ele deixa claro: “O cliente informado reinará sobre o cliente desinformado” e neste contexto, quem informa é quem dá as cartas.

Portanto, engajar faz a diferença, engajar com conhecimento mais ainda, e por mais que leve mais tempo, as indicações são mais interessantes que um simples lead comum, elas trazem consigo colaboração e se tem uma coisa que o mercado de seguros precisa é isto. Incluir o cliente no processo!

Deixe uma resposta