Corretor de Seguros: você inspira ou manipula os seus clientes?

inspiração ou manipulação

Escrito pelo CEO do Cliente Agente, Kleber de Paula.

Olha, a pergunta não é pra ofender ninguém. Mas sim para iniciar uma reflexão sobre o que nos motivou no início e o que fazemos com as nossas marcas ao longo da jornada empreendedora.

Todo mundo está inspirado quando começa um negócio e quer fazer de tudo para agradar o cliente.

No entanto, a ” viagem é turbulenta” e às vezes, para sobreviver nos esquecemos do motivo inicial e aderimos a diversas estratégias pra manter o negócio “vivo”.

A necessidade de reavaliar o propósito do seu negócio de tempos em tempos

Você já deve ter percebido que nem sempre estas estratégias de curto prazo se conectam com o propósito do negócio.

Por isto, ao fazer um planejamento estratégico a gente pode estruturar bem os pilares do que estamos construindo e corrigir possíveis desvios.

Você lembra qual era a missão, visão e valores que a sua Corretora tinha quando começou?

Perceba que a missão é o que faço, para quem faço e de que forma eu faço.

Isto até pode ter amplitude e ser um pouco abstrato, mas define quem somos.

A visão é onde quero chegar. Mas a forma está descrita na missão.

Tudo isto, está apoiado em uma estrutura ainda mais rígida que são os valores.

Cuidado para não ter incoerências entre o seu discurso e as suas ações

Sendo assim, quando a gente cede a certas promoções, pode colocar a empresa em rota de colisão com seus próprios valores.

Perceba que marcas sólidas, que realmente criam conexão com seus consumidores são menos suscetíveis a concorrência por preço.

O CEO da Starbucks tem uma frase que gosto muito.

As marcas mais poderosas e duradouras são construídas a partir do coração. Elas são reais e sustentáveis. Seus fundamentos são mais fortes porque elas são construídas com a força do espírito humano e não por uma campanha publicitária.

Howard Schultz, fundador da Starbucks

Aqui ele fala de entusiasmo, mas também fala de como a gente pode manter ou não o mesmo discurso sempre.

E esta constância é o que vai determinar não só o tipo de clientes que vamos atrair (Product MKT FIT) mas o quanto eles permanecerão na empresa (LTV).

Mas o que fazer: pagar as contas ou manter os valores e buscar sua inspiração?

Eu sei que o mercado às vezes te obrigada a sair da linha e que a concorrência nem sempre é leal

Mas vencer apesar disto é pra quem sabe que tem uma missão a cumprir e que isto vai além de faturar.

Essa missão está ligada com o quanto você pode transformar a vida das pessoas, entregar soluções reais e conquistar verdadeiros defensores de sua marca.

Descontos do tipo “leve um, pague dois” ou “compre agora e comece a pagar no ano que vem” podem resolver questões práticas, mas não criam conexão.

E se sua causa não te inspira, pare e pense. Por que ele vai inspirar outras pessoas?

Deixe uma resposta