Meu último texto

Escrito pelo CEO da Cliente Agente, Kleber de Paula.

Comecei a escrever no LinkedIn, pouco tempo antes de fundar a nossa startup, a Cliente Agente.

Durante alguns anos, escrevi mais de 100 “artigos” com o objetivo de relatar meus aprendizados, e trazer clareza a parte dos corretores já que, nossa proposta era entregar inovação e tecnologia a baixo custo, com fácil utilização a uma categoria na mira carteira da disrupção.

Aprendi muito no processo, que foi bastante exaustivo, mas que me permitiu desenvolver uma mentalidade anti frágil e muito diferente da média do meu setor.

“Eu disse diferente, melhor ou não, é a questão de ponto de vista”.

Este não é meu último texto, é apenas meu último texto direcionado a este público. Os próximos, provavelmente terão como missão, conscientizar de forma mais ampla a necessidade do seguro para uma sociedade que tenha a tranquilidade como desejo, este é o meu papel.

Como despedida, listo abaixo alguns aprendizados sobre o que falta na maior parte das corretoras, uma vez adquirido poderia mudar a realidade de forma muito favorável.

Conexão — No ambiente digital, essa é uma palavra-chave. Como posso envolver, convencer ou ensinar alguém que não esteja conectado? Não posso!

É a partir da conexão que iniciamos um relacionamento no ambiente digital. Ainda que o produto que vendo não esteja 100% possível de ser concretizado neste ambiente, é nele que haverá identificação, conscientização e decisão de compra.

Dados — Centenas de vezes, ouvi corretores dizendo que não colocavam os e-mails e celulares de clientes nas propostas, ou ainda, que usavam o Excel para que os “dados não fossem roubados”. Corretores que pensam que está sendo protegido, estão sendo inocentes, na verdade, são os estudos de dados que permitem construir uma relação com seus clientes. Além do que, existem várias formas de obtê-las, através de vantagens e facilidades que exigem dados para ser acessados.

Jornada – Uma corretora com 17 mil clientes, possui 300 seguidores no Instagram, outras tantas não estão nas redes sociais. Como ser lembado em um “mundo” que comunica o tempo todo se você não consegue se comunicar com seu próprio cliente?

Segmentação / Personalização — Em um ambiente em que os algoritmos me apresentam rapidamente os conteúdos do que gosto, o setor ainda está orientado a produtos. A maioria das corretoras consegue filtrar seus clientes pelo ano do carro, mais não conseguem informam sequer a profissão dos seus clientes. Elas não os conhecem…

Muita gente me afirma, que o consumidor confia no canal corretor, e por isto não irá abrir mão do “olho no olho”. Hoje, no entanto, homens, mulheres e crianças entram em um Uber, para serem levadas pela cidade porque ainda acreditam nas “5 estrelas” que algoritmo atribui ao motorista. Será que está tão distante o dia em que o algoritmo me informará que o seguro está adequado?

Quando chegar este dia, será que o consumidor vai mesmo optar por fazer uma ligação ou receber uma visita? Até os cartórios estão em risco, se não inovarem, porque não nós…

Em toda a história, temos exemplos de resistência, onde as pessoas lutaram bravamente contra inovação, chegando a se apoiar em governos para barrar a adoção de equipamentos em prol dos empregos. Em todas elas, a inovação venceu e os que inovaram reinaram sobre os demais.

O que ocorre é que com a chegada de novas formas de aumentar a produtividade surgem nas possibilidades para alguns que adaptam.

Quanto mais criamos tecnologia, mais diminuímos custo e mais tornamos os serviços acessíveis, é uma questão de escolher a abundância ou a escassez.

Ainda que eu não seja o profissional indicado para criar tecnologia, minha disposição para usá-la e pode me ajudar na adaptação a um novo ambiente.

Não usar tecnologia, não garante os empregos, não garante nada. O que garante evolução, é desenvolver conhecimentos para que as pessoas possam se adaptar e fazer parte da mudança, porque ela não vai cessar jamais…

O que eu tentei fazer com o Studio?

Eu busquei entregar conteúdo semanal para que os corretores conseguissem ao menos entregar algo nas redes sociais. Porque gradualmente eles criam uma disciplina e uma intimidade com este ambiente.

A evolução disto é a construção de uma conexão com os clientes que, sabendo que podem encontrar seu corretor ali neste canal, começam a participar mais ativamente.

Como o uso massivo, a mensagem chegaria todos os dias a milhares de consumidores, que a caminho do banco, seriam lembrados de que sua corretora de seguros está ali com muito mais atenção e cuidado para lhe atender (até porque ele segue o banco e fica complicado competir).

O que eu tentei fazer com o Cliente Agente?

A minha conta era simples. Após mil usuários com média de 100 clientes conectados não haveria mais como parar a ferramenta, ela entregaria engajamento e gamificação em escala para clientes promotores dispostos a ajudar corretores de seguros a disseminar conhecimento. Porque confiam, por que gostam, por que são gratos e também por que haveriam vantagens (por que não?).

Com isto, a conexão estabelecida fortaleceria a relação, permitindo que os mais jovens participassem do processo de forma mais prazerosa.

O Cliente informado, reinará sob o desinformado” Philipe Kotler

Basta ver como hoje, os heads de marketing e sados trabalham de mãos dadas nas empresas, e às vezes são a mesma pessoa. Comunicação sem personalização, conexão e intencionalidade não servem mais para nada.

É o fim do tirar pedidos, hoje, uma relação íntima entre consumidores e as marcas é o que definirá quem compra de quem.

Se você não sabia de um movimento, provavelmente você seria impactado negativamente por ele, ainda que a princípio ele venha como um presente. Se não pagamos por algo, nós somos o produto. Ilude-se quem escolhe a regulação para se proteger, quando quem regula os mercados é o poder do consumidor, esse sim, precisa enxerga o valor.

Ao invés dos corretores escolher o melhor para os seus clientes. Quem possui condições de inovar e construir conexão e experiência, vai escolher os clientes para os corretores. Dependemos do senso ético, que graças a Deus, existe!

Eu agradeço por tudo e pela oportunidade de ter sido mentorado. Hoje eu posso mentorar as pessoas, e com isso, ter evoluído em meu amado setor. Agradeço as aberturas de portas que foram tantas, a impressa do setor, aos colegas queridos que participaram com a gente deste processo de criação, gestão e até da compreensão em momentos de desconstrução.

Fazer parte da mudança é melhor que resistí-la.

A transformação não vai parar, e eu vou fazer parte dela.

Sucesso a todos!

Deixe um comentário